Vale do Anhangabaú


O Vale do Anhangabaú é um calçadão público construído sobre um entroncamento rodoviário no centro da cidade de São Paulo, dez metros acima do vale propriamente dito.

Anhangabaú significa em tupi, água do mau espírito, batizado assim por conta de algum malefício feito pelos bandeirantes aos índios nas imediações do rio Anhangabaú, que hoje passa sob o asfalto.

O terreno que até 1822 era uma chácara que vendia agrião e chá, foi sendo gradativamente urbanizado, até a década de 1930, quando foi totalmente coberto com a construção de uma via expressa.

No início da década de 1980, através de um concurso público, foi proposto o projeto arquitetônico da grande laje sobre a via, ligando os dois lados do Vale e recriando a área verde entre os viadutos do Chá e Santa Ifigênia.

Do Vale onde hoje acontecem manifestações públicas, comícios políticos e espetáculos populares, avistam-se outros cartões-postais da cidade, como os edifícios Martinelli, Matarazzo e Banespão, e o Teatro Municipal, palco da Semana de Arte Moderna de 1922, que representa o marco inicial do Modernismo no Brasil.